Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO




Combate ao Coronavírus

ACESSE AQUI
Seminário dá início ao processo de implantação do Ensino Remoto no IF Baiano
Atualizado em 21 de outubro de 2020 às 14:11 horas | Publicado em 21 de outubro de 2020 às 14:11 horas
Compartilhe nas redes sociais:

No dia 13 de outubro, iniciou-se o processo que implantará as Atividades Pedagógicas Não Presenciais (APNP) no IF Baiano, através do I Seminário da Educação Profissional e Tecnológica em Tempos de Pandemia. O evento capacitou os docentes para a execução do Ensino Remoto, aprovado pelo Conselho Superior (Consup) no dia oito de outubro e regulamentado por Instrução Normativa, elaborada pela Pró-reitoria de Ensino (Proen). O Seminário orientou docentes e equipe pedagógica sobre os desafios, metodologias e perspectivas que o novo contexto de ensino traz.

Abriram o evento o reitor do Instituto Federal Baiano, Aécio José Passos Duarte, e o pró-reitor de Ensino, Ariomar Rodrigues dos Santos. Em sua fala, o reitor destacou a necessidade de maturação do processo de implantação das APNP, levando em conta a realidade dos alunos do Instituto, originários de comunidades rurais, muitas delas sem acesso à internet. “A gente observou uma certa ansiedade dos alunos por ter iniciado essa discussão um pouco antes, mas o que a gente tem agora é algo que está solidificado no Instituto sobre a necessidade do que temos que fazer”, afirma. Diante dos desafios a serem enfrentados nessa fase de adaptação de implementação das APNP, o reitor enfatizou a importância da coesão e da colaboração de todas as pessoas que fazem o Instituto.

A primeira mesa do evento trouxe a contribuição do pró-reitor de Ensino do IF Sul de Minas, Giovane José da Silva, e do diretor de Educação a Distância do IF Baiano, Antônio Carlos S. C. de Souza (Thonny Hawany), sob a mediação de Andreia Rêgo da Silva Reis, coordenadora geral da Educação Básica e Profissional, da Diretoria de Planejamento e Desenvolvimento do Ensino (DPDE). Giovane compartilhou a experiência das APNP no IF Sul de Minas. A instituição está em ensino remoto desde 18 de março, quando foi implantado um Projeto Piloto de 15 dias, a partir do qual a comunidade conheceu as dificuldades e necessidades do novo contexto, podendo escolher se permaneceria com as atividades remotas ou não. O pró-reitor de Ensino conta que a comunidade decidiu seguir o calendário regular em ensino a distância, enfrentando os desafios que o modelo imputa.

Para ele, o momento atual de crise sanitária exige dos estudantes o desenvolvimento de habilidades que vão além de cumprir o currículo escolar e o IF Sul de Minas tem estimulado competências como iniciativa, autonomia, disciplina e organização de horários. “A gente sabe que os estudantes não têm toda essa maturidade, mas para eles não deixa de ser um exercício necessário de habilidades requeridas no Século XXI e que precisam estar na nossa sala de aula”, afirma o pró-reitor.

Após a fala de Giovane sobre as ações de promoção do acesso a tecnologias e conectividade e os caminhos na implantação de programas de ensino remoto no IF Sul de Minas, foi a vez do diretor de Educação a Distância, Antônio Carlos, iniciar a discussão sobre a implantação das APNP no IF Baiano. O diretor da DEAD apresentou pontos da Instrução Normativa sobre as APNP, elaborada pela Pró-reitoria de Ensino e aprovada pelo Consup na última quinta-feira. Ele concluiu sua explanação, dizendo que para saber se o novo modelo vai dar certo é preciso tentar. “Esse é o momento de unirmos esforços para a aplicação das atividades pedagógicas não presenciais da forma mais eficiente possível, a fim de causar os menores danos possíveis ao ensino e à aprendizagem de alunos e alunas do IF Baiano, além dos prejuízos já causados pelo coronavírus”, conclui o diretor.

A partir do segundo dia de evento, o foco foi na capacitação prática da equipe pedagógica para as APNP. A mesa “APNP e o uso das Tecnologias” trouxe a colaboração do professor do campus Serrinha, Osvaldo Oliveira Barreto Junior, e do docente do campus Guanambi, Woquiton Lima Fernandes. Osvaldo falou sobre a importância do uso da tecnologia na educação, da necessidade de retomar as aulas remotamente e de estratégias para essa retomada. O docente argumentou sobre a necessidade de garantir aos alunos o direito fundamental à educação e não deixar-se paralisar pelas dificuldades. Já Woquiton Lima abordou o conceito de tecnologia e, em seguida, propôs quatro passos para a oferta de disciplinas em ensino não presencial: diagnóstico, estratégia pedagógica, ferramentas e feedback.

No dia 15, quinta-feira, foi realizada a Mesa “Planejamento e Plano de Ação Para as Atividades Pedagógicas não Presenciais (APNP)”. A mediação do encontro foi feita pelo Diretor de planejamento e desenvolvimento de ensino (Proen/IF Baiano), Estácio Moreira. Em sua fala, o Diretor Acadêmico do Campus Senhor do Bonfim, Geraldo Caetano Souza focou em propostas para os cursos integrados e subsequentes, trazendo exemplos de recursos para as atividades online, como a utilização do Moodle e da plataforma RNP, já de uso do IF Baiano, mas sem descartar o uso de outras plataformas disponíveis, como o Microsoft Teams. Também sugeriu novos programas de aulas, com mudanças na carga horária semanal, junção de turmas e diversificação dos turnos.

A Diretora Acadêmica do Campus Guanambi, Normane Chaves, destacou que para pensar o planejamento das APNP é preciso garantir as etapas de mapeamento dos alunos com acesso à internet, definição de quantos deles terão possibilidade de acompanhar as aulas, elaboração de material impresso e entrega desses materiais em conjunto com o acompanhamento pedagógico. Em seguida, a Coordenadora do Curso de Química do Campus Guanambi, Naiara Oliveira, trouxe como exemplo o planejamento que já vem sendo desenvolvido pelo colegiado do curso.

A professora Lilian Teixeira do campus Senhor do Bonfim levou para o último dia de evento a reflexão sobre o futuro profissional do docente e quais parâmetros regerão a educação formal nas próximas décadas, trazendo para discussão metodologias ativas mediadas por tecnologias da informação e comunicação nas atividades pedagógicas não presenciais, como a metodologia sala de aula invertida. Segundo a professora de Língua Estrangeira, Elda Rosa Rodrigues, que palestrou após a docente Lílian, as metodologias ativas estão alicerçadas na autonomia e no protagonismo do aluno. Ela apresentou a metodologia de aprendizagem baseada em problemas, ilustrando o método com ações mediadas por tecnologias digitais, desenvolvidas por ela em sala de aula no campus Itapetinga.

O convidado externo, Mateus Couto, especialista em telecomunicações e consultor de Tecnologias da Informação e Comunicação, digitalização, virtualização, educação, encerrou a programação de palestras do evento falando sobre plataformas para utilização no e-learning, metodologias de ensino e estrutura operacional.

Todas as mesas do evento foram gravadas e estão disponíveis no canal da TV Bem Baiano, confira lá a programação completa.

Confira as tags desta publicação:

Endereço: Rua do Rouxinol, nº 115 – Bairro: Imbuí | Salvador - BA CEP: 41720-052 | CNPJ: 10.724.903/0001-79 | Telefone: (71) 3186-0001
E-mail: gabinete@ifbaiano.edu.br