Que tal trabalhar com informação espacial? Faça o curso técnico em agrimensura

IF Baiano oferece formação em três campi
No Instituto Federal Baiano (IF Baiano), localizado nos municípiosde Catu, Senhor do Bonfim e Uruçuca, é possível buscar a formação técnica na área de agrimensura. “O curso habilita profissionais para trabalhar fundamentalmente com informação espacial, fornecendo suporte a diversas áreas que necessitam de dados georreferenciados, como: construção civil, agropecuária, meio ambiente, transportes, telecomunicações, turismo, entre outras”, fala a coordenadora do curso no CampusSenhor do Bonfim, Aldenice Cardoso. 

Segundo a professora Aldenice, o concluinte terá adquirido competências como: “aplicar a legislação e as normas técnicas vigentes; identificar as superfícies, os sistemas de referência, as projeções cartográficas eos sistemas de coordenadas; planejar serviços de aquisição, tratamento, análise, conversão de dados e execução de georreferenciados, selecionando técnicas e ferramentas adequadas e utilizando softwareespecíficos; organizar e supervisionar equipes de trabalho para execução de levantamento topográfico e mapeamentos; executar levantamentos topográficos, utilizando métodos e equipamentos adequados”, diz.
Com o andamento conjunto da teoria e da prática, os estudantes recebem orientações quanto aos seus próprios equipamentos (calça, bota, camisa de manga comprida e chapéu), além de usar protetor solar e beber muita água, explica a professora Cardoso. “Eles aprendem em topografia, por exemplo, nivelamento geométrico, levantamento altimétrico, representação de curvas de nível, planta planialtimétrica; em projeto geométrico de estradas, terraplanagem, drenagem nas estradas, sinalização; em planejamento urbano, saneamento básico, zoneamento urbano; em fundamentos da mecânica dos solos: estruturas do solo, compactação, estabilidade de talude etc”, detalha.
“As aulas práticas possibilitam mais aprendizagem e também temos mais oportunidades de trocar conhecimentos com os colegas de sala”, destacam as estudantes Emanuela Silva e Luciana Ribeiro. “Mais interessante foi ter aprendido coisas novas (medições, nivelamentos, entre outros), a cumprir horário e fazer trabalhos em grupos”, pontuam Silva e Ribeiro. “É um curso muito bom e a área tem muitas oportunidades no mercado de trabalho”, finalizam. 
 

Onde estudar:


Curso técnico


– Edital do Processo Seletivo 2017 será lançado no 2osemestre (cursos técnicos) / Seleção para curso superior pelo Enem/Sisu

Fotografia: Acervo / Coordenação de curso

Leia Mais

IF Baiano oferta curso técnico em zootecnia em três campi

Os futuros profissionais atuarão na cadeia produtiva animal e na criação de animais domésticos

Sempre quis atuar profissionalmente em algo voltado para o cuidado / a sanidade animal por trabalhar com produção animal”, declara Raiane Silva, estudante do 3o semestre do curso técnico em zootecnia, forma subsequente,no Instituto Federal Baiano (IF Baiano) – Campus Senhor do Bonfim, sobre seu interesse na área. Foi aescolha dela pelo IF Baiano para sua formação técnica que favorece o passo para esse futuro: “tem uma boa estrutura de unidades educativas de campo com animais para as aulas práticas e conta com profissionais qualificados”, diz. 


A coordenadora Larissa Souza relataque o técnico em zootecnia, segundo o Catálogo Nacional de Cursos, atua “em toda a cadeia produtiva animal e na criação de animais domésticos. Colabora nas atividades de planejamento e controle da produção animal. Elabora, aplica e monitora programas de manejo preventivo, higiênico e sanitário na produção animal, objetivando a melhoria da produtividade e da rentabilidade. Presta assistência técnica e extensão rural na área de produção animal. Implanta e maneja pastagens, aplicando procedimentos relativos ao preparo e à conservação do solo e da água”, pontua a professora.

Assim, durante o curso, estudantes vivenciam no cotidiano do CampusSenhor do Bonfim uma mescla entre a teoria e a prática: “após a aulas teóricas, os alunos participam das aulas práticas nas Unidades Educativas de Campo. Nessas aulas, eles aprendem aspectos relativos a anatomia e fisiologia animal, manejo diário dos animais, de forma a promover melhorias na criação desses”, destaca a coordenadora do curso. Um preparo para o futuro que irá exigir que eles entendam “as mudanças e os avanços no cenário da produção animal e trazê-las para o cotidiano de suas atividades profissionais; a nova tendência de modernização em métodos de produção animal”, aponta Larissa.

Para William Oliveira, estudante do 3o semestre, a formação agrega conhecimento à sua atuação na área de pecuária porque ele convive com profissionais de grande experiência. “O mais interessante é conviver com professores que têm experiência no campo, agregando maior conhecimento da área e o que mais me motiva são as disciplinas que eu não possuía conhecimento anterior ao curso”, enfatiza Oliveira. “O curso agrega conhecimento científico ao que fazemos na prática (nas propriedades rurais), sendo importantíssimo para nós, profissionais, na hora de ajudar o produtor”, afirma o estudante William. “O mais interessante é a forma como os professores transmitem conhecimento para cada aluno, fazendo com que nós tenhamos contato com o animal, o que tornam as aulas interessantes, não ficando em algo monótono repetitivo e apenas na teoria. Os professores estão sempre dispostos a tirar qualquer dúvida, a conversar com alunos, sempre motivando e apoiando os mesmos”, conclui a estudante Raiane.

São nas aulas práticas onde aprendemos como atuar nas propriedades, levando o conhecimento aprendido na sala de aula para o campo, lidando melhor com as técnicas para entrar no mercado de trabalho sem grandes dificuldades”

Wiliam Oliveira, estudante do curso técnico

em zootecnia no IF Baiano/Campus Senhor do Bonfim




O curso técnico em zootecnia alinha-se aos propósitos do IF Baiano na oferta de educação pública, objetivando o desenvolvimento local e regional por intermédio da oferta de ensino profissionalizante de qualidade e da promoção da pesquisa aplicada”

– Larissa Souza, coordenador do curso técnico em zootecnia –



Onde estudar:


Curso técnico





Curso superior


Curso (Campus Senhor do Bonfim)


Duração:1ano e meio (mínima);

Oferta: duasturmas (matutino e vespertino);

Carga horária: 1.200 horas mais 200 horas de estágio supervisionado.


– Edital do Processo Seletivo 2017 será lançado no 2osemestre (cursos técnicos) / Seleção para curso superior pelo Enem/Sisu


Entenda as diferenças:



Fotografia: Acervo / Coordenação do curso


Leia Mais

Administração: formação técnica é uma possibilidade no IF Baiano

Professor Francisco Andrade

No Instituto Federal Baiano (IF Baiano) –Campus Teixeira de Freitas, o estudante do curso técnico em administração pode se formar para “atuar em funções de apoio em organizações públicas ou privadas de todos os portes e ramos de atividade: indústria, comércio e serviços”, fala Francisco Andrade, professor e coordenador do curso nas formas integrada e subsequente.

O curso, na forma integrada, por exemplo, possibilita que o futuro profissional tenha uma “visão sistêmica das organizações de forma que possa aplicar as técnicas e as ferramentas necessárias para auxiliar no processo de gestão das instituições públicas, privadas e do terceiro setor”, destaca Andrade. O coordenador explica que os estudantes estão “aptos a atuaremde forma proativa em situações novas e em contínua mutação como é o caso das instituições públicas, privadas e do terceiro setor contemporâneas. Éaquele profissional que executa as funções de apoio administrativo: protocolo e arquivo, confecção e expedição de documentos administrativos e controle de estoques. Opera sistemas de informações gerenciais de pessoal e material. Utiliza ferramentas da informática básica como suporte às operações organizacionais”, explica.
Para Tayná Caetano, estudante do 3o ano, é uma área de atuação ampla. “Gosto quando estudamos a teoria e saímos para ver a prática em forma de visitas técnicas. Aprendo muito mais assim”, diz. Quando os representantes dos setores administrativos de uma certa empresa falam como é o dia a dia e têm alguns que atémostram o que fazem”, declara sobre o que mais gosta das aulas práticas. Já, Samira Said, estudante do 1o ano, fala sobre a relevânciados assuntos estudados. “São de imensa importância tanto para os técnicos em administração como para as demais pessoas da sociedade. É muito interessante a forma com que os professores interagem com os alunos. Vejo que o fato de ter que entender e interpretar os assuntos propostospelos professores como uma
Estudante Tayná Caetano
oportunidade”, enfatiza Said.
O professor Andrade diz que o técnico “contribui com a transformação social através de sua interação no contexto social, cultural, político e econômico em que vivem. Esses profissionais estão sempre inovando na operacionalização de atendimentos, serviços e rotinas administrativas, dentro de organizações empresariais ou comerciais, utilizando instrumentos e meios tecnológicos disponíveis para a gestão organizacional. Buscam sempre a melhoria contínua nas organizações, tendo uma postura proativa e transformam as teorias e as práticas em soluções que possam melhorar e aumentar a produtividade das organizações”, pontua.
Estudante Samira Said
A estudante Samira espera que as matérias (do curso) possam ajudá-la no futuro em umaárea administrativa. “Ajudando a conhecer como ser e exercer um ótimo papel de administrador. Gosto de sentir e vivenciar cada momento que as aulas práticas proporcionam a nós, alunos e futuros técnicos em administração, e saber que iremos levar esse aprendizado para o resto de nossas vidas.”, conclui. 
 
Prática durante ocurso (destaque da coordenação de curso):

  • Seminários com temas universais (assuntos mais discutidos da conjuntura social);
  • Disciplinas do Núcleo Tecnológico: contexto prático com a identidade regional e o mercado;
  • Programa “Empreenday”: desenvolvimento de habilidades empreendedoras, visando a criação de ideias viáveis para o mercado consumidor, o aproveitamento de recursos materiais e a transformação da sociedade através de conceitos que auxiliam esta própria sociedade;
  • Estágio curricular: prática profissional que o estudante busca no mercado através de 200 horas de experiência em uma empresa do mercado empresarial.


A administração é fundamental para o desenvolvimento de um país. A formação de profissionais que possam contribuir como recurso humano, visando a construção de um país melhor, bem administrado com riqueza social bem distribuída, aumento da produtividade e bom atendimento é o objetivo genérico que o curso de técnico de administração busca implementar”

– Francisco Andrade, coordenador do curso –



Onde estudar:


Campus Teixeira de Freitas (integrada / subsequente) –


– Edital do Processo Seletivo 2017 será lançado no 2osemestre (cursos técnicos) / Seleção para curso superior pelo Enem/Sisu


Fotografia: Acervo pessoal / Francisco Andrade, Tayná Caetano e Samira Said



Leia Mais

Agroecologia: “formação e preparação de cidadãos conscientes”

IF Baiano oferta curso técnico em 3 campi e superior em 1 campus
Um curso ligado à natureza. Foi o que motivou a Fetinga Ruggeri quando se inscreveu no

Processo Seletivo do Instituto Federal Baiano (IF Baiano) no Campus Valença e escolheu o curso técnico em agroecologia (forma integrada). “Conhecer, aprender mais sobre a natureza”, declarasobre o mais interessante em seu curso. “É um curso que trata também de preservação, assunto que precisa urgente ser debatido”, complementa Julia Queiroz, estudante da mesma turma de Ruggeri.

O curso técnico, segundo Sérgio Almeida, coordenador em agroecologia no CampusValença, objetiva “formar profissionais preparados para atuarem tanto de forma individual quanto em equipes multidisciplinares no planejamento e na orientação do manejo de agroecossistemas sustentáveis no bioma Mata Atlântica e na assistência técnica e extensão rural a agricultores familiares em projetos de conservação de recursos naturais, de manejo agroecológico do solo, de conservação de solo e água, de manejo ecológico de pragas e doenças e implantação e manejo de sistemas agroflorestais na perspectiva do Produzir Conservando e Conservar Produzindo”, afirmao professor.
Em Valença, são os jovens entre 15 e 19 anos, filhos ou não de agricultores, que residem nos municípios do Território Baixo Sul da Bahia ebuscam a formação. Através do curso, eles podem vivenciar no campo o aprendizado da sala de aula, declaraAlmeida. O professor diz que, no campus, eles possuem um “espaço urbano (sede) e um,rural (Fazenda Aldeia, a 7 km da sede). Em todos eles, são realizadas aulas práticas, especialmente na Fazendinha Agroecológica, localizada dentro da Fazenda Aldeia. Os estudantes aprendem os princípios e os fundamentos científicos da agroecologia, sendo 25% da carga horária de aulas práticas”, detalhasobre o funcionamento prático do curso.
Para as estudantes, estudar agroecologia significa o exercício do aprendizado teórico na prática, a possibilidade de estar na área que desejam, as experiências de vidae a descoberta de lidar de maneira simples no manejo. “Com pouco tempo de curso, o aluno muda sua visão sobre muitas coisas que antes não se importava”, pontuaa estudante Queiroz. “Éum curso que precisamos para entender o mundo em que vivemos”, complementaa estudante MariaSouza.
O professor Sérgio reforçaque o curso “tem um papel fundamental na formação e na preparação de cidadãs e cidadãos conscientes de que é possível, é necessário e é urgente a concretização da máxima Produzir Conservando e Conservar Produzindo, pois disso depende nossa existência planetária harmoniosa com bemestar e qualidade de vida para toda a humanidade”, finaliza
 

Por ser um lugar de alto nível de professores, bom rendimento dos alunos que se dedicam e que ao sair dão bons frutos”

– Julia Queiroz, estudante do curso técnico

em agroecologia, 2o ano, Campus Valença-


Onde atua:


  • Fazendas;
  • Assentamentos de reforma agrária;
  • Reservas extrativistas;
  • Associações;
  • Cooperativas de agricultores familiares;
  • Empresas públicas e privadas de assistência técnica e extensão rural.


Onde estudar:


Curso técnico:





Curso superior:




– Edital do Processo Seletivo 2017 será lançado no 2osemestre (cursos técnicos) / Seleção para curso superior pelo Enem/Sisu

Fotografia: Acervo pessoal / Sérgio Almeida

Leia Mais

Curso de agricultura: técnicos para atenderem a demanda do campo

 
O curso buscará atender as demandas das populações rurais – produtores rurais, povos quilombolas, agricultores familiares, comunidades ribeirinhas – , egressos do ensino fundamental, de modo geral, que tenham interesse em ampliar e qualificar o conhecimento teórico-prático vinculado ao setor de produção agrícola”, explica o coordenador do curso técnico de agricultura (forma integrada) no Instituto Federal Baiano (IF Baiano) – CampusBom Jesus da Lapa, Fabio Gonçalves.


Essa formação, proporcionada pelo IF Baiano também no CampusGuanambi, propicia “um contato com a tecnologia agropecuária e contribui para que o egresso possa planejar, executar e monitorar etapas da produção agrícola; planejar e acompanhar a colheita e a pós-colheita das principais culturas; auxiliar na implantação e nogerenciamento de sistemas de controle de qualidade na produção agrícola; identificar e aplicar técnicas mercadológicas para distribuição e comercialização de produtos; elaborar laudos, perícias, pareceres, relatórios e projeto; atuar em atividades de extensão e associativismo”, complementa o professor Gonçalves.

Na parte prática, o estudante pode integrar a teoria e as práticas de trabalho em momentos que acontecem “nos laboratórios do curso; nas visitas a empresas agrícolas da região; na realização do estágio; nas disciplinas dos núcleos temáticos (formas de trabalhar a teoria e a prática de modo mais veemente, uma vez que consolida o trabalho em equipe e a ampla discussão de problemas locais e regionais sob a ótica do pensar estratégico, do pensar para ação); na participação em eventos técnicos e científicos da área de agricultura; na participação em projetos de pesquisa e extensão”, fala o coordenador sobre a forma de aprendizado do estudante durante a sua formação técnica.
A partir do curso, espera-se um profissional preparado para atuar em empresas de produção e consultoria agrícola; instituições de assistência/assessoria técnica, extensão rural e pesquisa; comércio de equipamentos e produtos agrícolas; unidades de produção familiar; cooperativas e associações de produção agrícola e também de forma autônoma. “Um dos grandes desafios para os profissionais que vão seguir nesta área, no território em que nosso campus está inserido, está no convívio com as características ambientais do território. Produzir determinados gêneros agrícolas em áreas de clima semiárido exige tecnologias adaptadas à grande restrição hídrica. Ao mesmo tempo, tem-se um mercado de trabalho amplo que exige do profissional talento e criatividade para lidar com as novas necessidades ambientais vinculadas à produção de alimentos”, pontua Gonçaves.
Em entrevista ao Bem Baiano, dois estudantes do curso (forma integrada) no CampusBom Jesus da Lapa falamsobre o interesse pelo IF Baiano, o curso e o futuro profissional.
Bem Baiano – Por que estudar no If Baiano?
Viviane Ferreira (estudante do curso técnico em agricultura / integrado) – Por ser uma instituição que cobre com todas as necessidades dos estudantes, tornando-se assim uma grande oportunidade para nós, alunos do ensino médio.
Lincoln Pereira (estudante do curso técnico em agricultura / integrado) – Eu escolhi estudar no IF Baiano porque a minha formação do ensino médio terá mais qualidade.
Bem Baiano – Por que o interesse por esse curso?
Viviane Ferreira (estudante do curso técnico em agricultura / integrado) – Mesmo sendo uma adolescente, (eu)me preocupo com o futuro do Brasil e, se formos parar pra pensar, a agricultura é uma área que não possui uma alta taxa de desemprego, podendo oferecer, mesmo que seja no futuro, grandes oportunidades de trabalho para mim e os meus colegas de curso.
Lincoln Pereira (estudante do curso técnico em agricultura / integrado) – Eu moro na zona rural e, desde criança, eu tenho contado com os animais e os alimentos que são plantados aqui. Com isso, surgiu o meu interesse no curso.
Bem Baiano – Quanto ao curso: oque mais gosta, mais interessante, mais desafiador, aulas práticas?
Viviane Ferreira (estudante do curso técnico em agricultura / integrado) – A relação professor-aluno quando o assunto é a discussão e o aprendizado de novos conhecimentos. Novas disciplinas, que talvez por eu nunca ter visto antes, no caso as disciplinas técnicas, se tornem mais interessantes.
Estudar em uma instituição federal e a forma de os professores se preocuparem com os alunos, com o nosso aprendizado.
Termos 17 matérias e darmos conta de todas elas.
As aulas práticas do campus são ótimas, nos distraímos e adquirimos novos conhecimentos. Gosto de tudo das aulas práticas, principalmente quando entramos em contato com o solo e desvendamos várias propriedades.
Lincoln Pereira (estudante do curso técnico em agricultura / integrado) – O que eu mais gosto no curso: as aulas práticas.
O mais interessante: as aulas que temos noslaboratórios.
Omais desafiador: as apresentações dosseminários.
A interação com as plantas que são cultivadas e com o solo.
Bem Baiano – Como esse curso irá agregar à sua vida profissional?
Viviane Ferreira (estudante do curso técnico em agricultura / integrado) – Inicialmente, eu não era tão agregada à agricultura em geral, mas isso mudou completamente quando entrei Instituto. Atualmente, estou encantada com o meu curso e, assim que eu me formar, pretendo fazer engenharia agronômica.
Lincoln Pereira (estudante do curso técnico em agricultura / integrado) – Ele será a minha base para que eu possa aprofundar mais na área da agricultura, pois pretendo fazer o curso de agronomia.


Onde estudar:
Bom Jesus da Lapa (integrado/ subsequente)

Fotografia: Maria Isabel Pereira (estudante do curso / Campus Bom Jesus da Lapa)
– Edital do Processo Seletivo 2017 será lançado no 2osemestre

Leia Mais