Campus Teixeira de Freitas incentiva a Arte e Cultura

 Foi através da chamada interna da Pró-Reitoria de Extensão para Projetos de Cultura (Edital 04/2015), que Daniel Gonçalves, Técnico em Audiovisual do Campus Teixeira deFreitas, realizou a “Mostra Cultural: Arte, Cultura e História”. Um dos objetivo era proporcionar o intercambio de experiências e produções artísticas e culturais.
“O Campus Teixeira de Freitas é rico em produções artísticas e culturais. Essas produções são feitas tanto por alunos como também por servidores. Só que, muitas vezes, ficam limitadas ao ambiente de sala de aula e/ou de campus. O projeto esse que tem com o objetivo divulgar para a comunidade de Teixeira de Freitas e Região todas as nossas produções artísticas e culturais, como também abrir espaços para que a comunidade e instituições possam trazer material para nossa Mostra Cultural”, afirmou Daniel.

Leia Mais

Tecnologias sociais: análise de cisternas de produção no semiárido

Pesquisa do IF Baiano mapeia e analisa contribuições para a vida dos(as) agricultores(as)
 
Iolânda Almeida, egressa do curso de pós-graduação lato sensu desenvolvimento sustentável no semiárido com ênfase em recursos hídricos, realizou o projeto “Intervenção hídrica de cisternas de produção: resultados socioeconômicos e intermediação para a produção agroecológica” sob orientação da professora Vanessa Angelim. 
 

Em sua pesquisa, ela buscou mapear e analisar as contribuições socioeconômicas de tecnologias sociais de captação da água da chuva, em especial as cisternas de produção, avaliando seus aportes para a convivência dos agricultores e agricultoras familiares no semiárido, as novasrelações estabelecidas no cotidiano e a possível melhoria da qualidade de vida”, explicoua pesquisadora Almeida.
Segundo Iolânda, foi possível perceber a ação dos movimentos sociais na conquista de investimentos para a mitigação da escassez da água. Em suma, a água armazenada é utilizada para diversos fins, produtivos e domésticos, corroborando para o aumento e a diversificação da produção de alimentos, segurança alimentar, estabilidade produtiva e a amenização da labuta cotidiana. Porém, subutilizada por uma intencionalidade própria da conservação/economia da água a espera dos longos períodos de estiagem”, informou.
Para a pesquisadora, o impacto do projeto esteve em discutir junto às famílias sobre o potencial socioeconômico das cisternas de produção, promovendo a reflexão em torno de uma utilização mais eficiente para a garantia dos seus resultados nas famílias e comunidade. O maior impacto está em contribuir para a construção de estratégias de formação e construção de conhecimentos que permitam aos agricultores familiares a utilização do potencial com maior estabilidade”, disse.
“Ansiamos exaltar a importância das instituições de ensino e pesquisa da região colocaremno centro da discussão a convivência com o semiárido, uma vez que as grandes carências da realidade semiárida partem da falta de identidade, da falta de conhecimento ou de interpretações equivocadas‘”, finalizou Almeida.
Semiárido – Desde a graduação nosanos noventa, o semiárido é uma temática acadêmica na vida de Almeida que estudou, na época, “Relações estabelecidas em torno da escassez de água na comunidade de Jaboticaba – Quixabeira”.  
Filha de agricultor familiar, Iolânda atua hoje na área da convivência com o semiárido: “participação, articulação e mediação do processo de formação para agricultores e agricultoras familiares da região de Quixabeira com temas relacionados à convivência com o semiárido na busca da sustentabilidade no meio rural e do aprimoramento de políticas públicas relacionadas com a realidade local, desenvolvendo, metodologias que estimulam a participação, a valorização e o interlace entre saberes locais e novas alternativas de convivência”, informou.


Apoio:Associação de Pequenos Produtores de Jaboticaba – APPJ


Fotografia: Acervo da família Rios Araújo



Estudante do IF Baiano fala sobre eleição para o Parlamento Juvenil do Mercosul

Mariana Íbera Brito Sala, estudante do curso Técnico em Zootecnia, do IF Baiano – Campus Santa Inês foi selecionada para participar do Processo Eleitoral que escolherá o representante da Bahia no Parlamento Juvenil do Mercosul. Além dela, mais três estudantes da Rede Estadual participarão da eleição online que ocorrerá, entre os dias 30 de outubro a 5 de novembro, e definirá o representante do Estado no Parlamento. O mandato será de dois anos.
O lançamento das candidaturas será online, no dia 10 de outubro, através de portal criado pelo MEC, onde os estudantes poderão conhecer os candidatos, seus projetos e escolher o representante. Durante o processo eleitoral, Mariana poderá promover sua candidatura por meio de vídeos e postagens em suas redes sociais, utilizando a hashtag  #EleiçãoPJMBrasil2016.
Confira a entrevista de Mariana para o BlogBem Baiano.

Blog Bem Baiano Como se sente em ter sido selecionada?
Mariana Sala –Sinto-me bastante feliz por ser selecionada para representar a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica no Estado da Bahia, em um projeto tão importante como parlamento juvenil Mercosul 2016/2018, pois coloco em destaque o protagonismo dos jovens, especialmente o jovem da zona rural, em diversos espaços na sociedade, para assim haver integração regional e o protagonismo juvenil, e o “Ensino Médio que queremos”.
Blog Bem Baiano Como foi o processo de seleção? Por que decidiu participar?
Mariana Sala – O processo de seleção foi o início de uma descoberta, pois me aprofundei em diversos temas para criar o meu projeto. Primeiramente, decidi participar da seleção por incentivo de meus pais, e, logo depois, por alguns professores do Instituto.
Blog Bem Baiano Qual o seu projeto? Do que trata? Quais os objetivos? O que ele propõe?
Mariana Sala – Meu projeto é sobre Jovens e Trabalho e trata do “Protagonismo Juvenil no Meio Rural”. Tem como objetivo desenvolver canais de comunicação para promover o diálogo entre os jovens sobre o protagonismo juvenil na zona rural; realizar um diagnóstico sobre a realidade local e regional dos jovens que vivem na zona rural, além de conscientizar sobre a necessidade de ampliar e aprimorar a participação em diversos espaços na sociedade. Assim, propus algumas atividades como, por exemplo, realizar entrevistas com jovens da zona rural sobre seus interesses e formas de participação, além de fazer visitas para atividades que sensibilizem os jovens sobre a importância do protagonismo juvenil, criando espaços nas Redes Sociais para divulgar vídeos, textos, entrevistas, mensagens…sobre a necessidade de participação de jovens da zona rural e de ideias inovadoras sobre a protagonismo juvenil.

Bem Baiano O tema do principal parlamento em 2016 é“O Ensino Médio que queremos”. Qual é o Ensino Médio que Mariana Sala quer?
Mariana Sala – Bem, o Ensino Médio que quero é um ensino de qualidade que todos tenham direito e que os jovens tenham mais liberdade de participar e opinar para juntos: criar uma geração de pensadores e argumentadores.
Blog Bem Baiano Você se sente preparada para discutir os temas relativos a educação no âmbito do Mercosul? O que acha que mais merece atenção?
Mariana Sala Me sinto preparada em parte, pois estamos sempre em busca de novos conhecimentos para juntos traçarmos planos, abrindo espaço para diálogos e discussões acerca de temas vinculados à educação. Criar meios da educação para que os jovens possam expandir seus horizontes através do Ensino médio, garantindo às novas gerações a possibilidade de integração e trabalho.
Blog Bem Baiano– Qual a importância de ter participado dessa seleção?
Mariana Sala – Dá a minha contribuição para a educação, ao mesmo tempo que fortalece o processo de integração, garantindo novas possibilidades de ser ouvida e de exercer ativamente nossa cidadania.
Blog Bem Baiano Qual sua expectativa, caso seja eleita?
Mariana Sala – Cumprir os objetivos e atividades previstas em que escrevi no meu projeto, assim ajudando os jovens a compreender o mundo, resolver problemas e atuar de forma cidadã, ética e responsável em sua comunidade e em toda a sociedade.
Blog Bem Baiano Qual a importância de concorrer ao Parlamento para sua formação profissional?
Mariana Sala – Adquirir conhecimentos e tornar a aprendizagem ao longo da vida, interagindo com pessoas de diversas culturas e regiões, promovendo a igualdade, a coesão social e a cidadania ativa, além de discutir e formar ideias para a educação das futuras gerações.

Fotos: Arquivo de Mariana Sala

Ex-aluna do IF Baiano recebe prêmio Jovem Empreendedor Rural 2016

A formação no IF Baiano contribuiu para que ela montasse seu próprio negócio

Aos 16 anos, Maria Natiele Rodrigues, ex-aluna do curso Técnico em Agropecuária do IF Baiano, tinha interesse em se formar em advocacia, pretendia tirar seus pais do meio rural e sair do campo. Entretanto, essa visão mudou ao realizar um curso para o Jovem Empreendedor Rural, oferecido pela Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira – CEPLAC. E após concluir a formação técnica e profissional no IF Baiano, em 2013, ela conseguiu montar o próprio negócio.

 
Quando retornei do curso [Jovem Empreendedor Rural], comecei a instruir os agricultores associados sobre a adubação orgânica, adubação verde, plantio, produção de hortaliça, entre outros e eles começaram a aplicar em suas propriedades”, disse Maria. Ela ainda percebeu que as mulheres da comunidade ficavam ociosas nessas ações. “Então, comecei a incentivá-las para que os doces que elas já faziam para consumo próprio, agora produzissem em maior quantidade para venda”, afirmou.

Leia Mais

Vencedores da “Arte no Polo” falam sobre suas atividades culturais

O concurso “Arte no Polo” foi lançado pela Diretoria de Educação a Distância para estimular os estudantes e comunidade do entorno dos 21 polos do IF Baiano. Os participantes enviaram vídeos, mostrando diversas atividades culturais que desenvolvem.

Após uma triagem realizada pela equipe da Educação a Distância, oito vídeos participaram da seleção final, aberta ao público através do YouTube, totalizando mais de cinco mil visualizações. Com base na quantidade de visualizações e curtidas por vídeo, foram escolhidas a arte no polo IF Baiano de Nazaré e de Remanso como vencedores.

No polo Nazaré, a estudante do IF Baiano e professora Ivani Nogueira apresentou a Banda de Lata e Cidadania, com crianças do município que utilizam instrumentos reciclados para percussão, como baldes, panelas e vasilhas de leite. Há dez anos a professora organiza a banda e hoje, 25 crianças participam do projeto, que participam dos ensaios em turno oposto ao escolar. Todas são da Rede Municipal de Ensino.
O maior benefício é afastar as crianças que viviam na vulnerabilidade social. A comunidade está inserida no contexto que apresenta fatores ameaçadores ao desenvolvimento físico, ético, psicológico e cognitivo destas crianças”, afirmou Ivani.
No polo Remanso, os vencedores são da categoria comunidade. Lorena da Silva e Ramon Costa dançaram a música “Dona Cila”, da cantora Maria Gadú. “Me identifico com a dança. Posso me expressar e mostrar o que mais sei fazer. Fico honrada em ter competido com pessoas muito boas”, disse Lorena. “Foi emocionante ter vencido, mostrar que na minha cidade tem talento. O que mais me motivou foi saber que eu tinha que levar o nome da minha cidade para reconhecimento”, acrescentou Ramon.
Para o coordenador do polo Nazaré, Anderson dos Santos, o concurso além de incentivar a arte, proporcionou mais coesão entre os estudantes e teve esse papel de incentivar as produções da comunidade, “no sentido de valorar ações que vivem no anonimato. A educação de qualidade é construída no momento em que todos os pares se envolvem com veemência no que cerne à interação e integração da escola e a comunidade”, disse. Ele acrescentou que, com a iniciativa, o polo ganhou mais visibilidade em Nazaré.

Veja Também: