Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO




Ingresso de Estudantes 2019

CLIQUE AQUI

Ingresso de Estudantes 2018.2

CLIQUE AQUI
Trabalhos de estudantes são destaque em evento científico
Atualizado em 11 de junho de 2018 às 16:51 horas, por Bianca Brito
Publicado em 6 de junho de 2018 às 9:36 horas, por Bianca Brito

Expo Nacional Milset Brasil premiou estudantes com credenciais para participação em eventos ciêntíficos internacionais.

Compartilhe nas redes sociais:
FacebookTwitterGoogle+

Pesquisas desenvolvidas por estudantes do Campus Catu do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Baiano (IF Baiano) se destacaram no evento científico Expo Nacional Milset Brasil, que ocorreu de 29 de maio a 1°de junho em Fortaleza, Ceará. A exposição contou com 180 projetos apresentados, oriundos de 22 Estados brasileiros e mais sete países: Portugal, Peru, Paraguai, México, Colômbia, Chile e Argentina.

Três trabalhos desenvolvidos por estudantes do IF Baiano foram premiados com credenciais para participação em outros eventos científicos de abrangência internacional. “Participar deste evento é de fundamental importância para o desenvolvimento da ciência em todo o mundo com pesquisas que contribuem para a solução de várias problemáticas da sociedade”, ressaltou o professor Saulo Capim, orientador dos três projetos apresentados.

Saiba mais sobre as pesquisas e os resultados obtidos no evento:

O trabalho ‘Processamento da farinha da casca do mangostão e sua utilização na alimentação de pessoas com diabetes’, de autoria dos estudantes Daniela de Jesus, Enrick Melo e Iago Lage, conquistou o 2º lugar na categoria Ciências Agrárias e foi credenciado para participar da Milset mundial, evento que irá ocorrer em Dubai, nos Emirados Árabes, em agosto de 2019. A ideia da pesquisa é utilizar o mangostão, um fruto característico da Ásia, mas cultivado em larga escala nas regiões da Amazônia, Pará e no Sul da Bahia, que possui altos valores nutricionais, dentre os quais, elevada quantidade de pectina. Esta propriedade tem como função reter líquidos e formar um gel que pode absorver as substâncias em excesso (glicose) no organismo dos diabéticos.

O projeto teve seu ponto de partida em setembro de 2017. Segundo o estudante Iago Lage, responsável pela apresentação do projeto no evento, o reconhecimento o motiva a prosseguir com a pesquisa. “Nos instiga a pesquisar, a buscar e proliferar a ideia benévola de conhecimento científico, ainda mais quando este é aliado com a beneficência social, como no caso do projeto que apresentei, visando o combate de uma mazela presente em grande parte da comunidade”.

Inscrito na categoria Ciências da Saúde, a pesquisa ‘Utilização da canela na obtenção de substâncias com potências atividades leishmanicidas‘, de autoria da estudante Anna Clara Barbosa, foi premiada com uma credencial para representar o Brasil em evento internacional voltado para estudos de doenças endêmicas e tropicais em Medellín, na Colômbia.

Segundo a estudante do curso de licenciatura em química, o trabalho atual é continuação de uma pesquisa que ela desenvolve desde o ensino médio. “O tema era basicamente o mesmo, o que mudava era que buscávamos identificar a presença de atividade analgésica no óleo da canela, o que conseguimos fazer”. A ideia agora é desenvolver um medicamente de baixo custo e acessível para a população que atue efetivamente no tratamento da leishmaniose.

“Acredito que reconhecer a qualidade de um trabalho é a forma mais eficaz de incentivar a continuidade e aprimoramento do mesmo’, comentou a jovem pesquisadora.

Desenvolvido pelas estudantes Rafaella Maria da Luz e Juliana Souza, a pesquisa ‘Raiz identidade e empoderamento: um estudo histórico-químico da ditadura dos padrões de beleza na sociedade contemporânea’ estuda a formação da identidade nacional e sua relação com a imposição da globalização dos produtos de cosméticos voltados para cabelos crespos e cacheados. O projeto, inscrito na categoria Ciências Humanas, foi premiado com uma credencial para participar de Feira Mineira de Iniciação Científica (Femic), em julho de 2019.

“Esse projeto foi o meu primeiro contato com pesquisa científica, foi o meu primeiro contato com um público fora do âmbito escolar  e pra mim foi uma grande realização participar e sair com uma premiação e um início de bagagem científica”, avaliou a estudante curso técnico em Agropecuária, Rafaella Matos.

Confira as tags desta publicação:

Endereço: Rua do Rouxinol, nº 115 – Bairro: Imbuí | Salvador - BA CEP: 41720-052 | CNPJ: 10.724.903/0001-79 | Telefone: (71) 3186-0001
E-mail: gabinete@ifbaiano.edu.br / faleconosco@ifbaiano.edu.br